Edições Natureza © - Todos os direitos reservados. 2.003 - 2.011

 

 

  Óleo de Prímula  - Oenothera biennis Scop

 
 

 

Nativa da América do Norte, foi introduzida na Europa no século XVII como planta ornamental. Os índios americanos usavam a planta como alimento, faziam também extratos ou infusões adstringentes e sedativas.
Propaga-se no período da primavera e princípio do verão. A exposição ao sol deve ser plena, a adubação é feita com esterco curtido de animal, húmus ou matéria orgânica, incorporados a 30cm de profundidade. Quanto à colheita, apanhar as sementes maduras.

 Mecanismo de ação da Prímula
 
Da prímula é extraído o óleo de prímula. Pelo fato deste óleo ser constituído por inúmeros tipos de ácidos graxos, atribui-se a ele diversas propriedades farmacológicas.
Os ácidos graxos insaturados presentes no óleo são responsáveis por várias funções no organismo, principalmente a de precursores das prostaglandinas.
O ácido linolênico, um dos principais constituintes do óleo, é um intermediário na síntese das prostaglandinas em especial a E1 que regula os hormônios sexuais femininos, também ajuda a manter a elasticidade e controla a oleosidade da pele, intervém nos mecanismos vasodilatadores e inibe a agregação plaquetária. Atua na síndrome da hiperatividade infantil, a nível de serotoninas cerebrais, normalizando-as.
A deficiência ou ausência de precursores das prostaglandinas conduzem a distúrbios que levam ao envelhecimento ou ressecamento da pele, distúrbios cardiovasculares, hipertensão e colesterolemia.
Poucos alimentos são fornecedores diretos de ácidos graxos insaturados em quantidades suficientes para produzir esses precursores.
O óleo de prímula é um agente ideal como fonte de ácido gama linolênico, reduz a perda de água através da pele, aumenta a tolerância à exposição dos raios ultra-violeta, melhorando a integridade, elasticidade e flexibilidade das membranas celulares.
O ácido gama linolênico é essencial na síntese das prostaglandinas, e sua reposição é necessária quando a enzima delta-6-desaturase está inativa, sendo sua deficiência a causa primária de alterações metabólicas.
O óleo de prímula, devido a sua constituição, ameniza a carência de ácidos graxos insaturados, quando a dieta alimentar é deficiente.
Da prímula também se aproveitam a raiz , as folhas, flores e caule.
Em relação a raiz, devido as mucilagens presentes em sua composição ocorre uma ação emoliente. As flores, folhas e caule são utilizados como sedativos da tosse, bem como ajudarem na estimulação sangüínea e serem importantes nutrientes capilares e tópicos.
As Prostaglandinas do subgrupo 1 (PGE1) produzidas a partir do Ácido Gamalinolênico atuam em uma infinidade de funções no organismo com reduzir a inflamação e a agregação plaquetária, inibir a síntese de colesterol, regular o tônus vascular, controlar a produção de prolactina e a pressão sanguínea, ativar os Linfócitos T. As vá rias prostaglandinas não são obtidas na alimentação, pois sendo moléculas muito complexas, seriam destruídas no processo digestivo. Também não são armazenadas, pois os órgãos produzem Prostaglandinas específicas de acordo com as suas necessidades, sendo seu efeito de curta duração visto que elas são rapidamente inativadas por enzimas. Portanto, devemos garantir uma certa quantidade de GLA necessária para a produção de Prostaglandinas, evitando assim problemas como:
Tensão Pré-menstrual (TPM): Caracterizada pela manifestação de sintomas de ordem física e psíquica no período que antecede a menstruação. Entre os principais estão: cólicas, dores de cabeça, acne, aumento de apetite, pernas cansadas, dores nos mamilos, aumento de peso, indisposições gástricas, depressão, irritabilidade, problemas de memória e concentração, etc. Foi constatado que durante esta fase existe uma quantidade diminuí da de GLA no sangue, levando a uma produção maior de prolactina, desencadeando uma série de sintomas típicos desta síndrome;
Artrite Reumatóide: Esta doença afeta principalmente as articulações através de um processo inflamatório autoimune, atingindo aproximadamente 5% da população mundial. Estudos científicos mostraram que em pacientes que apresentaram esta doença, os níveis sanguíneos de PGE1 e Linfócitos T estavam reduzidos. Um grupo de pacientes tratado com GLA apresentou diminuição nas dores das articulações em relação ao grupo que não recebeu o tratamento.
Problemas de Pele: Estima-se que aproximadamente 10% da população ocidental tem predisposição para doenças de pele como eczema e dermatite atópica, pele ressecada, acne, etc.. A suplementação com GLA mostrou-se muito eficiente no tratamento destas disfunções, mantendo a pele saudável e hidratada.
Doenças Cardíacas: O GLA ajudar a saúde do coração reduzindo a agregação plaquetária, regulando a pressão sanguínea através da diminuição do tônus vascular e controlando a produção do colesterol.
 
Indicações de uso da Prímula
 
Tem ação: Adstringente, antialérgico, antiinflamatória, ativa os linfócitos T, demulcente, emoliente, inibidora da síntese de prolactina, reguladora da circulação sangüínea e reguladora do tônus muscular.
O ácido gamalinolênico (GLA) extraído do óleo da planta funciona como precursor de substâncias semelhantes a hormônios (protaglanolinas).
O GLA normalmente é produzido pelo organismo humano pela conversão do ácido linoléico ingerido pela alimentação.
No entanto, alguns fatores como estresse, colesterol elevado, diabetes, insuficiência hepática e alguns medicamentos, entre outros, inibem essa formação, o que pode acarretar em alguns distúrbios no organismo, como aumentar a agregação plaquetária e levar a inflamação, má produção prolactina, má regulação do tônus muscular e aumentar a susceptibilidade do óleo de enotera (encontrada no mercado por óleo de prímula).
As indicações do óleo de prímula são numerosas. O óleo pode ser utilizado em afecções da pele (acne, eczema, psoríase), devido a sua ação antiinflamatória e levemente adstringente.
É indicado também seu uso mediante
TPM tensão pré-menstrual, hiperatividade infantil, danos hepáticos causados pelo álcool, visto que em relação a este último caso a prímula age como um hepatoprotetor.
As flores, folhas e caule da prímula são indicados em casos de tosse, rouquidão e acessos de asma.
De um modo geral a prímula age como um antiinflamatório, sedativo, antiespasmódico, demulcente, adstringente suave, hepatoprotetor, anticoagulante, suplemento nutricional, vasodilatador e como o um nutritivo.
 
Contra-indicações
 
A prímula é contra-indicada a pessoas sensíveis ao produto e portadoras de epilepsia.
Em relação a gestação/ lactação o óleo é recomendado para suprir a carência de ácidos graxos essenciais.
    


APRENDA A FAZER LIGAÇÕES DE GRAÇA PARA TELEFONES FIXOS COM ADPHONE

Muito bom é facil de usar, testado e aprovado faz ligações grátis para telefones de todo mundo.

Medicina Alternativa®