O material apresentado, não substitui as orientações do profissional de saúde.

 

 

 

 

 

 

 

    

   ..:: REGRAS BÁSICAS DE UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ::..


Como todos os seres vivos, o homem necessita de alimentos.
Hoje, a maioria das pessoas come mal. Uns comem em demasia, outros morrem de fome, e, em muitos casos, cometem-se muitos erros alimentares que podem provocar graves doenças.
Além da dieta balanceada e da correta escolha e combinação dos alimentos, é necessária uma mudança de hábitos para se obter uma melhor digestão e assimilação dos nutrientes. Nenhum alimento é mais importante do que o outro, a ingestão de alguns alimentos deve ser feita em maior quantidade que outros, alguns devem serevitados ou  usados moderadamente.


Coma à vontade. Você pode.

Mas lembre-se de que os maus hábitos alimentares às vezes se tornam um problema para o resto da vida

Quando os filhos chegam à adolescência, muitos pais abrem mão de uma de suas responsabilidades: a de cuidar para que se alimentem direito. Fazem isso convictos de que não há mesmo remédio, visto que jovem só come porcaria. Não é bem assim. Um estudo realizado com alunos de 12 a 18 anos das escolas públicas de São Paulo concluiu que eles comem o mesmo que os adultos, só bebem mais refrigerantes. Outra pesquisa, da Universidade Federal de São Paulo, mostra que os adolescentes de classe média consomem muita gororoba gordurosa na escola, mas fazem as refeições principais em casa. Na média, um adolescente vai à lanchonete (para engolir a bomba calórica hambúrguer-refrigerante-batata frita) três vezes por semana.

No auge do crescimento, entre os 12 e os 15 anos, um jovem pode consumir sem susto 10% mais de calorias diárias que o indicado para um adulto. "O adolescente usa a energia para esticar, enquanto o adulto certamente vai crescer para os lados"

A proporção de jovens com sobrepeso quadruplicou nos últimos trinta anos e chegou a 14% na faixa etária dos 8 aos 18 anos. A culpa é da vida sedentária e do excesso de comida industrializada, rica em farináceos e gorduras, sobretudo entre a população mais pobre. O efeito perverso do engordamento precoce é o aumento das doenças cardiovasculares e do diabetes tipo 2.

A geração atual é provavelmente a mais preocupada com comida saudável de todos os tempos. Está em alta ser vegetariano, eliminar a carne vermelha do cardápio e preferir produtos com o rótulo diet. Nesse estilo também vale a regra do bom senso: excessos fazem mal à saúde. Quanto mais variada, mais saudável é a alimentação. O maior perigo mora nos maus hábitos, que tendem a se perpetuar. A comida gordurosa não faz mal para quem está crescendo. Mas, com o fim da adolescência, o metabolismo desacelera e o corpo pára de queimar calorias com a mesma eficiência. Se um jovem adulto continuar a comer a mesma quantidade de comida da época de adolescente, será inevitável que fique gordo.

Alimentar-se nos horários corretos

Existe um ritmo biológico natural do organismo, segundo a teoria do ciclo circadiano, preconizando que a cada duas horas um órgão ou função orgânica está mais polarizado.

O estômago, por exemplo, entre as 7 e 9 horas se encontra mais apto a receber a primeira refeição do dia, sendo portanto, ideal que esta seja mais rica e variada. Realizar o almoço seis horas após a refeição matinal e o jantar entre 19 e 21 horas, não ingerindo nesta, alimentos em excesso e de difícil digestão, pois estando o metabolismo digestivo diminuído neste horário, uma sobrecarga pode prejudicar o sono fisiológico noturno.

Procurar alimentar-se com prazer

É óbvio que o melhor é alimentar-se com tudo aquilo que é saudável, mas também é fundamental escolher alimentos que façam do ato alimentar um prazer. Valorizando-se o verdadeiro paladar dos alimentos e oferecendo ao mesmo tempo o que há de melhor para o seu organismo, é uma enorme demonstração de auto-estima.

Mastigar os alimentos lentamente

A digestão dos alimentos tem origem na boca através da mastigação e salivação. Portanto, é preciso deixar por um longo tempo o alimento em contato com a saliva, na boca, para que a digestão comece de forma mais efetiva.

Além disso, uma correta mastigação atua na sensação de fome e saciedade, que é controlada pelo hipotálamo, no cérebro. O nível de glicose no sangue, proveniente da digestão dos carboidratos, se eleva durante a digestão, transmitindo ao cérebro um estímulo no centro nervoso de saciedade. Isso leva de 15 a 20 minuto. Se engolirmos o alimento sem mastiga-lo bem, acabamos por necessitar ingerir uma maior quantidade de alimentos durante o tempo que o cérebro necessita para transmitir a sensação de saciedade. Portanto, uma mastigação correta e adequada pode levar a uma menor necessidade de ingestão e alimentos, com conseqüente perda de peso. A desatenção e a pressa durante o ato de comer estão intimamente relacionadas à obesidade. Uma mastigação correta estimula os músculos da face e os dentes, ativando a circulação sangüínea dessa região. A mastigação lenta e efetiva, aliada a uma postura de calma e tranqüilidade frente ao ato de se alimentar, pode repercutir em melhoria da digestão e bem-estar. Na nossa cultura contemporânea, onde a velocidade impera, é importante parar para perceber o verdadeiro sabor dos alimentos e imprimir um ritmo e uma forma saudável para alimentar-se e viver.

Não utilizar líquidos durante as refeições

No estômago, o ácido clorídrico e outras enzimas digestivas originam um meio ácido importante para a digestão de alimentos. Uma manutenção constante desta acidez durante o processo digestivo permite uma melhor atividade desse processo; contudo, a administração de líquidos durante as refeições diminui a acidez e a concentração de enzimas, dificultando e aumentando o tempo de digestão dos alimentos no estômago. Assim, o ideal é não consumir líquidos até meia hora antes e duas horas após as principais refeições.

Alimentar-se com dietas leves nas crises emocionais

Quando o estado emocional apresenta-se alterado, com agitação, nervosismo, cansaço e preocupações, há uma diminuição das secreções gástricas, prejudicando o processo digestivo. Por esse motivo, é importante não ingerir alimentos de difícil digestão nos momentos em que essas alterações estejam presentes, dando preferência pra alimentos como saladas, sucos de verduras ou frutas.

Uma alimentação saudável que proporcione uma eliminação adequada das toxinas

A capacidade do organismo em assimilar os nutrientes é apenas uma parte de sua funções para manter um estado de saúde. Porém, o organismo necessita também eliminar os resíduos tóxicos e esse processo é tão importante quanto a assimilação dos nutrientes essenciais. Assim, o correto funcionamento dos rins e intestinos, através da ingestão adequada de água e fibras vegetais é um procedimento natural, visando um incremento na eliminação das toxinas e contribuindo para a manutenção do equilíbrio orgânico.

A atividade física

Todo organismo se beneficia com a atividade física regular, principalmente pelos resultados de melhoria nas funções cardiovascular e respiratória; isto porque ocorre uma ampliação do transporte de oxigênio e nutrientes para todas as células orgânicas.

Paralelamente, também há uma ampliação do transporte de dióxido de carbono e toxinas metabólicas das células para a corrente sangüínea e, finalmente, para os órgãos depuradores, ou seja, pulmões, fígado e rins, facilitando a remoção dos detritos do organismo. Contudo, a atividade física regular é particularmente importante para se reduzir o risco de doenças cardíacas, por promover um aumento na capacidade funcional do coração, através da redução da pressão arterial e a obesidade.

Além disso, segundo um estudo científico publicado pelo American Journal of Epidemiology, a atividade física regular está fortemente associada com a diminuição de estados depressivos, ansiedade, insônia, esgotamento físico e mental. Todavia, antes de iniciar um programa de atividade física, é muito importante uma avaliação médica geral e cardiológica, principalmente sendo fumante e apresentando mais de 35 anos de idade. As melhores atividades são as caminhadas em ritmo moderado, andar de bicicleta, a hidroginástica e a dança aeróbica.

Um mínimo de 15 a 20 minutos de exercícios na freqüência de treinamento individual pelo menos três vezes por semana são necessários para se promover algum benefício no organismo.


Atenção:   Jamais use um tratamento natural sem conhecimento ou a supervisão de um profissional de saúde habilitado.


Medicina Alternativa®

EDIÇÕES NATUREZA Copyright©   -   Todos os Direitos Reservados   2003 -    -   Criação e desenvolvimento: EDNATUREZA ©

Página Inicial

 

Fitoterapia

 

Geoterapia

 

Hidroterapia

 

Trofoterapia

 

Quem Somos

 

Fale Conosco